Aplica-se às versões: EBv5, EBv5Gold, EBv6, EBv6Gold, EBv7, EBv7Gold, PMv7, PMv7G, PMv8, PMv8G

Assunto

Por que, ao processar a estrutura processar_estrutura, a análise é interrompido no primeiro item da lista e ao se selecionar a janela de mensagensmensagem, constata-se a indicação que alguns pilares estão sem continuidade?

Artigo

Ao se lançar um pilar em um pavimento, está se informando apenas um ponto na estrutura que não possui continuidade. É necessário inserir o pilar em, no mínimo, dois pavimentos para este ser "montado". O programa unirá os dois pontos que tiverem o mesmo nome, entre os dois pavimentos nos quais estes pontos se encontram e, assim, sucessivamente, se este pilar continuar para outros pavimentos.

Um pilar de fundação já possui a informação de que há um elemento indeslocável abaixo dele (a fundação em si). Portanto, já existe uma continuidade, abaixo do pavimento no qual o pilar de fundação foi lançado (mas não acima). Se o pilar continuar para os pavimentos superiores, basta inseri-lo  através do comando Elementos-Pilares-Adicionar, com o mesmo nome do pilar de fundação lançado através do comando Elementos-Fundações-Adicionar, nas mesmas coordenadas.

Ao invés de lançar o pilar novamente nos pavimentos adjacentes onde ele existir é possível copiá-lo para os demais pavimentos. Para isso, com o pilar previamente lançado em um pavimento, deve-se acessar o menu "Elementos-Pilares-Copiar para outros pavimentos". Esse recurso, otimiza o lançamento e garante a  prumada do pilar, uma vez que será feita a cópia idêntica do elemento estrutural, ou seja, serão copiados seus dados com,  por exemplo,  nome e  coordenadas ( x,y).

Exemplo sobre a consideração da continuidade dos pilares no Eberick

Observe a figura abaixo referente a um corte esquemático de uma estrutura:

Continuidade_de_pilares(a)_Eb

Figura 1 - Continuidade dos pilares

 

Da figura acima é possível constatar que:

  • Os pilares P1 e P4 nascem nas fundações (Baldrame), passam pelo pavimento Térreo e morrem na Cobertura. Portanto esses pilares devem ser lançados no pavimento Baldrame como pilares de fundação através do menu Elementos-Fundação-Adicionar e nos pavimentos Térreo e Cobertura, como pilar, através do comando Elementos-Pilares-Adicionar. É preciso lembrar sempre de lançar os pilares nos pavimentos com o mesmo nome e em igual posição (coordenadas).

É possível também copiar os pilares P1 e P4 previamente lançados no Baldrame para os pavimentos Térreo e Cobertura, através do comando "Elementos-Pilares-Copiar para outros pavimentos", sem a necessidade de lançá-los novamente nesses pavimentos.

  • O pilar P2 nasce no Térreo e morre na Cobertura. Portanto, deve ser lançado como pilar através do comando Elementos-Pilares-Adicionar diretamente no pavimento Térreo  e no pavimento Cobertura, com o mesmo nome e em igual posição. Se preferir é possível efetuar a cópia do pilar P2 referente ao seu lançamento no Térreo diretamente para o pavimento Cobertura, utilizando o comando "Elementos-Pilares-Copiar para outros pavimentos".

Não é correto lançar o pilar somente na Cobertura. Esse pilar deve ser definido em dois níveis, sendo um deles onde o pilar "Nasce" e o outro nível onde o pilar " Morre". A indicação no croqui  referente a continuidade do  pilar (Nasce ou Morre) pode ser habilitada em "Configurações-Entrada Gráfica-Pilares".

  • O pilar P3 nasce na fundação (Baldrame) e morre no vigamento do próprio Baldrame. Logo, deve ser lançado como um pilar de fundação através do comando Elementos-Fundação-Adicionar, apenas no Baldrame.

tag(s): Lançamento, Pilar