Assunto 

Neste artigo será indicado em quais situações de projeto é recomendável efetuar um novo processamento da estrutura. 

Artigo 

Durante a concepção de um projeto estrutural muitas vezes há necessidade de efetuar modificações na estrutura, de modo a obter um comportamento do modelo mais próximo a situação real, otimizar o consumo de materiais na estrutura ou mesmo atender as condições de segurança (ELU) e serviço (ELS) exigidas pela NBR6118. 

Existem modificações que influenciam nos esforços obtidos e, neste caso, é necessário efetuar um novo processamento para obter os esforços compatíveis com o novo modelo estrutural. 

Para exemplificar a situação, será avaliado o coportamento do gráfico de momentos fletores de uma viga enquanto são realizadas algumas modificações no projeto. A viga em análise tem seção 14x30 e seus pilares de apoio tem seção 14x40:

novo_processamento_EB01.gif

Figura 1 – Viga contínua 

Os momentos fletores obtidos para a viga nessa situação são:

novo_processamento_EB02.gif

Figura 2 – Momentos fletores obtidos na viga contínua 

A seguir, serão demonstradas as principais situações nas quais é recomendável efetuar uma nova análise da estrutura: 

1) Modificações no lançamento da estrutura 

Toda modificação efetuada no lançamento de uma estrutura deve ser acompanhada de um novo processamento. 

- Modificação da seção dos elementos estruturais 

Ao modificar as dimensões da seção de um elemento estrutural (como vigas, pilares, lajes, etc.) a rigidez do elemento também é alterada. Além de alterar do peso próprio das peças estruturais, as rigidezes dos elementos que compõe a estrutura também serão modificadas, e a distribuição dos esforços na edificação poderá mudar. 

Como exemplo, modificando a viga em análise para seção 14x50, há uma variação de aproximadamente 25% no valor do momento fletor máximo, quando comparado com a situação original.

novo_processamento_EB03.gif

Figura 3 – Viga contínua (seção 14x50)

novo_processamento_EB04.gif

Figura 4 – Momentos fletores obtidos na viga contínua (14x50) 

- Modificação do posicionamento de um elemento estrutural no lançamento 

Ao modificar o posicionamento de um elemento estrutural, como um pilar por exemplo, a rigidez do elemento e dos demais elementos associados a ele deve mudar. Como exemplo, o pilar P4 da viga em análise será movido 1 metro para a direita resultando no seguinte lançamento:

novo_processamento_EB05.gif

Figura 5 – Viga contínua (pilar P4 movido 1 metro para a direita) 

O momento máximo obtido teve uma variação de aproximadamente 30% quando comparado com a situação original.

 

novo_processamento_EB06.gif

Figura 6 - Momentos fletores obtidos na viga contínua (após mover o pilar P4 um metro para a direita)

Note também que o momento transmitido ao pilar P4 aumenta significativamente após mudar o seu posicionamento, o que pode ser visto comparando as descontinuidades de momentos da viga sobre este pilar no modelo original e após a modificação. 

- Modificação das vinculações 

Ao modificar a vinculação entre os elementos, como a ligação entre uma viga e um pilar, o vínculo de apoio de uma fundação, a criação de engaste na continuidade entre lajes, entre outros; está se alterando a rigidez da ligação entre dois elementos. Nesse caso, será necessário reprocessar a estrutura, pois os esforços internos nos elementos podem ser alterados. 

Como exemplo, foram criadas ligações semirrígidas entre a viga em análise e seus pilares de apoio conforme visto na figura abaixo:

novo_processamento_EB07.gif

Figura 7 - Viga contínua (após aplicar ligações semirrígidas)

O momento máximo obtido teve uma variação de aproximadamente -10% quando comparado com a situação original.

novo_processamento_EB08.gif

Figura 8 - Momentos fletores obtidos na viga contínua (após aplicar ligações semirrígidas) 

- Modificação do lançamento das cargas na estrutura 

Ao modificar os carregamentos lançados nos elementos que compõe a estrutura, como cargas acidentais e de revestimento aplicadas em lajes e o carregamento de paredes em vigas, os esforços obtidos devem mudar e, deste modo, é recomendável que efetue um novo processamento da estrutura. 

2) Modificações nas configurações do projeto 

- Modificação de itens da configuração “Análise” 

As configurações de análise da estrutura, acessíveis no menu “Configurações – Análise”, definem parâmetros relativos à análise, para a obtenção dos esforços e dos deslocamentos no pórtico:

novo_processamento_EB09.gif

Figura 9 – Janela “Configurações - Análise” 

Logo, no caso de efetuar qualquer modificação nestas configurações, é recomendável que efetue um novo processamento na análise da estrutura. 

- Modificação dos itens da configuração “Vento” 

As configurações de vento definem os parâmetros através dos quais será determinada a força de vento que atua em cada pavimento da estrutura. Mudando qualquer item desta configuração, os esforços decorrentes do vento também devem mudar, levando a necessidade de um novo processamento da estrutura.

novo_processamento_EB10.gif

Figura 10 – Janela “Configurações – Vento” 

Para obter mais informações sobre as configurações de Análise e Vento do programa acesse os artigos Principais configurações que devem ser definidas em projeto (Vento) e Principais configurações que devem ser definidas em projeto (Análise)

Neste artigo foram indicadas quais são as principais modificações que, se efetuadas em uma estrutura, podem levar a variação nos esforços internos obtidos. Como visto, qualquer modificação no lançamento da estrutura ou das configurações que tem influência nos esforços obtidos, como “Análise” e “Vento” levam a necessidade de um novo processamento do projeto. É importante ressaltar que há configurações do projeto que não tem influência na análise estrutural, como por exemplo configurações de Dimensionamento e Detalhamento,  sendo desnecessário efetuar uma nova análise caso estas configurações sejam modificadas.

tag(s): esforço, estrutura, Processamento