Assunto

Neste artigo será demonstrado como usar os recursos do módulo "Região maciça em lajes" para resolver situações como continuidade para lajes em balanço e momentos elevados na continuidade entre lajes.

Video

Artigo

Analisaremos dois exemplos através dos quais a criação de uma região maciça em continuidades pode ser adotada como solução de projeto.

Exemplo 1 – Criação de maciço para engastar uma laje em balanço

Regiao_macica_Parte2(01)_EB.gif

Figura 1 – Laje em balanço associada à laje interna

Em lajes pré-moldadas, cujas vigotas de ambas as lajes adjacentes não se encontrem perfeitamente perpendiculares à viga sob a qual se dá a continuidade (como na figura acima), não existe a possibilidade direta de engastamento.

Isso se deve ao fato de que, nessa posição, a laje não possui massa para absorver esforços de compressão oriundos dos momentos negativos pois o enchimento é considerado como material inerte, ou seja, despreza-se a sua resistência:

Regiao_macica_Parte2(02)_EB.gif

Figura 2 – Momento de continuidade entre lajes comprimindo os enchimentos (situação indesejável)

Para permitir o engastamento entre lajes na situação vista na Figura 1 pode-se criar uma região maciça que serviria ao propósito de resistir aos momentos negativos na continuidade:

Regiao_macica_Parte2(03)_EB.gif

Figura 3 – Momento de continuidade entre lajes comprimindo a região maciça (situação desejável)

Como exemplo foi criada uma região maciça no interior da laje L2, como visto abaixo:

Regiao_macica_Parte2(04)_EB.gif

Figura 4 – Laje em balanço associada à região maciça

Para criar uma região maciça em uma laje deve-se acessar o menu “Elementos – Lajes – Inserir maciço”. No tutorial do módulo “Região maciça em lajes” é explicado como lançar um maciço definindo pontos ou selecionando vigas. Para mais informações acesse o link Lançamento de regiões maciças.

O comprimento da faixa da região maciça em situações similares ao Exemplo 1 deve ser definido de modo a que ocorram momentos negativos somente nessa região, evitando assim que ocorra compressão nos blocos de enchimento da laje. Para saber se o comprimento do maciço está adequado deve-se visualizar os momentos fletores do maciço através da grelha (modelo “Elástico – Fletores”):

Regiao_macica_Parte2(05)_EB.gif

Figura 5 – Grelha das lajes

Uma forma de avaliar se o comprimento do maciço dentro da laje está adequado é verificando se as barras externas da grelha do maciço tem momentos positivos. Caso tenham momentos positivos está garantida a atuação do momento negativo apenas no maciço criado e consequentemente não haverá compressão nos blocos de enchimento da laje, caso contrário, se os momentos forem negativos recomenda-se adotar um comprimento maior para a região maciça criada.

Exemplo 2 – Criação de maciço na continuidade entre lajes

Será analisado o lançamento visto abaixo, no qual há duas lajes nervuradas engastadas entre si:

Regiao_macica_Parte2(06)_EB.gif

Figura 6 – Lajes nervuras com continuidade entre si

Através da janela de dimensionamento de lajes desse exemplo vê-se que a continuidade entre as duas lajes apresenta erro de dimensionamento:

Regiao_macica_Parte2(07)_EB.gif

Figura 7 – Janela de dimensionamento de lajes – Continuidade

Este erro de dimensionamento ocorre principalmente devido ao fato de o momento negativo solicitante ser absorvido exclusivamente pelo concreto da continuidade entre as lajes. Os enchimentos são considerados como inertes, ou seja, não contribuem na resistência ao momento negativo.

Para melhorar as condições da continuidade pode-se criar uma região maciça entre as lajes, como visto na figura abaixo:

Regiao_macica_Parte2(09)_EB.gif

Figura 8 – Laje com continuidade definida por maciço

Após lançar o maciço entre as lajes L1 e L2, a continuidade pode ser dimensionada corretamente, como pode ser visto na figura abaixo:

Regiao_macica_Parte2(10)_EB.gif

Figura 9 – Janela de dimensionamento de lajes – Continuidade

Aumentando a espessura da região de concreto ao longo da continuidade entre as lajes foi possível obter um ganho de resistência nessa região, o que possibilitou o seu dimensionamento.

Através desses exemplos pôde-se demonstrar a aplicação de maciços em continuidades de lajes, como balanços ou regiões com momento negativo considerável, o que pode em alguns casos representar uma boa opção de solução visto que não há dessa forma a necessidade de modificar outros fatores, como o tipo de laje adotada ou mesmo a espessura considerada.

tag(s): continuidade, Laje, maciço