Aplica-se à: Lumine V4

Assunto

Qual tipo de instalação devo escolher para que o programa calcule a demanda adequada para o meu projeto?

Artigo

Antes de iniciarmos este artigo, é necessário definirmos um conceito muito importante.

O que é demanda?

Na operação de uma instalação elétrica, seja ela residencial, comercial ou industrial, a energia elétrica (potência x tempo) consumida na instalação é variável ao longo do dia. Tal fato ocorre porque diversos pontos elétricos (tomadas, lâmpadas, motores etc..) não estão todos em operação ao mesmo tempo.

Demanda tem por definição o consumo de energia da instalação dividido pelo tempo no qual se verificou tal consumo.

Calculando a Demanda da instalação, pode-se projetar de uma maneira mais realista e econômica o ramal de entrada e os circuitos alimentadores dos quadros de distribuição. Com isso tem-se a diminuição da corrente de projeto e a conseqüente diminuição das seções dos condutores alimentadores e do valor de corrente de proteção dos disjuntores.

O programa  AltoQi Lumine, calcula a demanda de duas maneiras distintas, dependendo do tipo de instalação que é escolhido pelo usuário no menu “Configurações” – “Dimensionamento”. Iremos abordar neste artigo as duas maneiras de cálculo executadas pelo programa, para que seja possível escolher qual a melhor opção a ser aplicada em seu projeto.

Unidade consumidora individual

Entende-se como unidade consumidora individual, o Conjunto de instalações e equipamentos elétricos caracterizado pelo recebimento de energia elétrica em um só ponto de entrega, com medição individualizada e correspondente a um único consumidor.

No dimensionamento dos condutores dos circuitos de distribuição até o ramal de entrada será levado em conta o tipo de carga de cada circuito terminal agregado aos quadros.

O usuário poderá cadastrar os tipos de cargas (menu “Configurações” – “Fatores de demanda”) utilizadas no projeto com seus valores típicos de utilização (fator de demanda), e escolher para eles qual critério de cálculo será utilizado.

Na determinação dos circuitos do projeto será necessário definir um tipo de carga para eles, conforme demonstrado na figura 1.

Uso individual

Figura 1

O programa realizará um somatório da potência instalada de todos os circuitos com o mesmo tipo de carga e multiplicará pelo seu devido fator de demanda.

D = Potência instalada x Fator de demanda

 

Cálculo da Demanda de Edifícios Residenciais de Uso Coletivo

Com a finalidade de dimensionar o ramal de entrada de energia de Edifícios residenciais de uso coletivo, o programa aplica um critério especifico desenvolvido pelo Codi – Comitê de Distribuição de Energia Elétrica para esse tipo de cálculo, (RTD) N° 027.

Entende-se por edificações de uso coletivo, um conjunto vertical ou horizontal com duas ou mais unidades consumidoras que ocupam o mesmo terreno privado.

Demanda dos Apartamentos

A demanda correspondente aos apartamentos é feita pelo produto do Fator para diversificação de carga em função do número de apartamentos (ver tabela 1), pelo valor da demanda do apartamento em função da área (ver tabela 2), conforme a seguinte equação:

Daptos = F1 . F2

Onde:

  • F1: Fator de diversidade, obtido da Tabela 1;
  • F2: Demanda, em função da área, obtida da Tabela 2;

Os valores de área constantes da Tabela 2 são referentes à área útil do apartamento, não devendo ser consideradas as áreas de garagem e outras áreas comuns dos Edifícios.

Para Edifícios que tenham apartamentos com áreas diferentes, deverá ser adotado um valor de área calculado pela média ponderada das áreas dos apartamentos do prédio. Para configurar o valor da área do apartamento no programa Lumine, deve-se clicar abrir as propriedades do quadro de distribuição, selecionar a aplicação como apartamento e adicionar as informações, conforme demonstrado na figura 2.

numero aptoTabela 1 - Fatores para Diversificação de Carga em Função do Número de Apartamentos.

 

calculo da demanda em funcao da areaTabela 2 - Cálculo das Demandas dos Apartamentos em função das Áreas

aplicacao aptoFigura 2

Demanda do Condomínio (Residencial)

A demanda do condomínio corresponde à soma das demandas das cargas de iluminação, de tomadas e de motores instalados nas áreas do respectivo condomínio. Aplicam-se os seguintes critérios:

  • Demanda referente à iluminação das áreas comuns (áreas do condomínio): aplicando os seguintes fatores de demanda - 100% para os primeiros 10 kW e 25% para as cargas acima de 10 kW.
  • Demanda referente às tomadas de corrente das áreas comuns (áreas do condomínio): aplicando o seguinte fator de demanda - 20% da carga total.
  • Demanda referente aos motores elétricos e outros tipos de carga: Deverão ser consideradas as quantidades de um mesmo tipo de motor para o cálculo de seu fator de demanda. Ao lançar motores com aplicações distintas, deve-se procurar estabelecer o Tipo de circuito dos motores em grupos de utilização também distintos. Isso é necessário para que o programa não calcule o fator de demanda considerando que todos os motores serão utilizados para a mesma aplicação, diminuindo em muito o valor da potência presumida demandada.

tabela motoresTabela 3 - Fatores de Demanda Referentes aos Motores Elétricos Monofásicos e Trifásicos.

 

Para o cálculo da demanda do condomínio utiliza-se a seguinte equação:

Dcondomínio = I1 + 0,25 x I2 + 0,20 x T + M

Onde:

  • Dcondomínio: Demanda total correspondente ao condomínio (áreas comuns);
  • I1: Parcela da carga de iluminação do condomínio até 10 kW;
  • I2: Parcela da carga de iluminação do condomínio acima de 10 kW;
  • T: Carga total de tomadas.
  • M: Carga total de motores do condomínio.

Obs.: Para que o programa calcule adequadamente, conforme descrito anteriormente, deve-se escolher a aplicação condomínio no quadro de distribuição, conforme figura 3, e deverão ser escolhidos os tipos de carga “Iluminação Condomínio (residencial)” (figura 4), “Tomadas Condomínio (residencial)” (figura 5) e “Motores” (figura 6), caso contrário, o programa irá aplicar os fatores de demanda do tipo de carga escolhido.

aplicacao condominioFigura 3

circuito condomonioFigura 4

circuito condominio 2Figura 5

motorFigura 6

Demanda de cargas especiais

Será adotado o fator de demanda de 100%, caso a aplicação escolhida for Especial e o tipo de carga escolhido para os circuitos deste quadro estejam definidos como “Uso específico”, conforme demonstrado nas figura 7 e 8. Caso contrário, será aplicado o fator de demanda do tipo de carga escolhido.

aplicacao especialFigura 7

circuito

Figura 8

Demanda Total do Edifício

A Demanda total será representada pela seguinte equação:

DT = 1,2 (Daptos + Dcondom) + E

Onde:

  • DT = Demanda Total do Edifício;
  • Daptos = Demanda correspondente aos apartamentos;
  • Dcondom = Demanda correspondente ao condomínio.
  • E = Demanda das cargas especiais (uso específico) aplicando-se o fator de demanda de 100%;

 

Visando suprir futuros aumentos de carga provenientes do crescimento vegetativo da carga e de aparelhos não projetados, a demanda total calculada deve ser multiplicada pelo fator 1,2, podendo ser adotado um fator superior no menu “Configurações” – “Dimensionamento”, botão Fatores, conforme visto na figura 9.

Dimensionamento fatoresFigura 9

tag(s): Demanda, Dimensionamento, Potência, Tipo de instalação