Aplica-se às versões: PMv7, PMv7G, PMv8, PMv8G

Assunto:

Neste artigo serão abordadas algumas das verificações realizadas pelo programa AltoQi Eberick Pré-Moldado para o dimensionamento de consolos. Além disto, serão apresentadas algumas diretrizes para a solução de erros de dimensionamento e condições relevantes de modelo e projeto que podem influenciar nos carregamentos sobre este tipo de elemento estrutural.

Artigo:

Basicamente, o comportamento típico deste elemento é representado por um modelo de biela tirante. Neste contexto, alguns aspectos são essenciais para que o modelo apresente um comportamento adequado. Dentre estes aspectos podemos citar:

  • Ancoragem adequada do tirante;
  • Taxa de armadura limitada, de modo a garantir escoamento da armadura antes da ruptura do concreto;
  • Resistência à compressão do concreto (esmagamento da biela comprimida);
  • Consideração dos esforços horizontais;
  • No caso de excentricidades de cargas, considerar os esforços de “torção” internos ao consolo.

Segundo a NBR 9062:2006, para o dimensionamento de consolos, devem ser obedecidas algumas hipóteses de cálculo. Dentre elas, destaca-se primeiramente a classificação dos consolos como sendo curtos ou muito curtos.

Dimensionamento_de_consolo(a)

Modelo de análise de consolos.

Quando a relação “a/d” estiver na faixa 0,5 < a/d ? 1,0 o consolo é definido como “Curto”. Para valores abaixo de 0,5 a classificação os define como “Muito curto”.

De maneira semelhante ao que existe para os elementos convencionais do Eberick, existem relatórios específicos para demonstração dos resultados de dimensionamento, bem com considerações realizadas no cálculo de cada um destes.

Para acessar os resultados de dimensionamento dos consolos deve-se acessar a janela de dimensionamento dos pilares e clicar sobre as respectivas guias “Consolo”, onde são apresentadas as propriedades geométricas, e “Dim. Consolo”, onde são apresentados os resultados de dimensionamento.

Dimensionamento_de_consolo(b)Janela de dimensionamento dos pilares Pré-Moldados.

Acessando o menu “Relatórios” desta janela, existe um relatório específico para o dimensionamento dos consolos de cada pilar, além dos botões “Resultados de armadura” e “Erros” para a interpretação específica dos resultados para cada bitola.

Dimensionamento_de_consolo(c)

Exemplo de relatório de cálculo de consolo pré-moldado ("Relatórios - Consolo").

Através da janela do menu “Configurações – Dimensionamento – Pilares PM” pode-se modificar as configurações de dimensionamento do consolo, distribuídas em: “Aparelhos de apoio”, “Pinos de ancoragem” e “Consolo” para facilitar o encontro de cada configuração desejada.

Dimensionamento_de_consolo(d)

Janela de configurações de dimensionamento de pilares pré-moldados.

Por exemplo, em casos de erro de dimensionamento do consolo em relação aos estribos horizontais, pode-se verificar o espaçamento mínimo definido, lembrando de evitar espaçamentos muito pequenos para garantir uma boa concretagem da peça.

Outra situação comum no dimensionamento de consolos, considerando uma análise tridimensional da estrutura, são as excentricidades geradas sobre os consolos. Nestes casos, existe a verificação da resultante da carga sobre o terço médio do aparelho de apoio. Esta opção é configurável em “Configurações – Dimensionamento – Pilares PM – Desconsiderar verificação da excentricidade no terço médio”. Ao habilitar esta configuração está se permitindo que as excentricidades obtidas para a resultante de carga sobre o consolo sejam um pouco maiores, solucionando alguns casos de erros de dimensionamento D94 – Excentricidade excessiva no consolo.

Dimensionamento_de_consolo(e)

Modelo de aparelho de apoio - Indicação da região do terço médio.

Caso se deseje verificar o valor das excentricidades, estes podem ser encontrados no relatório dos consolos, apresentado anteriormente (Relatórios – Consolo).

Dimensionamento_de_consolo(e)

Indicação das excentricidades junto ao relatório de cálculo dos consolos ("Relatórios - Consolo").

De uma maneira geral, estas excentricidades vêem do próprio modelo estrutural. Por exemplo, em casos de vigas que se apóiam sobre outras, existe uma tendência de que surja um efeito de torção nestas peças, o que transmite o efeito da torção ao consolo.  Outro caso são estruturas muito flexíveis, as quais tendem a apresentar maiores deslocamentos, consequentemente as cargas tornam-se mais excêntricas. Ao garantir uma melhor rigidez para a estrutura ou melhorar seu contraventamento, existe uma tendência de que estes valores sejam reduzidos. Uma maneira de fazer isso é aplicar vinculação semirrígida em alguns pórticos ou até mesmo garantir uma maior rigidez aos elementos de uma maneira isolada, aumentando a seção dos mesmos.

tag(s): -