Aplica-se às versões: PMv7, PMv7G, PMv8, PMv8G

Assunto:

Como dimensionar as lajes alveolares de um projeto de estrutura pré-moldada?

Artigo:

Recapitulando os assuntos abordados no artigo Iniciando projetos de estruturas pré-moldadas, criou-se, inicialmente, um projeto composto por elementos pré-moldados em que foram observados problemas de instabilidade global, além de erros de dimensionamento nos diversos elementos que compõem o sistema pré-moldado. Com isso, foi realizada uma análise acerca dos resultados obtidos no processamento, tendo sido realizado um levantamento dos problemas encontrados, a partir do qual será dada continuidade ao projeto da estrutura exemplo. O próximo passo será solucionar os problemas encontrados para as lajes pré-moldadas do projeto.

Conforme levantamento realizado no artigo anterior, no projeto exemplo haviam sido identificados problemas somente nas lajes do pavimento Térreo, nas lajes L1 à L9.

Dimensionando_as_lajes_de_uma_estrutura_pre_moldada_a.gifLajes do pavimento térreo (lajes com erro em azul claro)

Ao detalhar estas lajes, verifica-se que é emitido o erro D64 - Laje pré-fabricada insuficiente para os esforços calculados.

Dimensionando_as_lajes_de_uma_estrutura_pre_moldada_b.gif

Janela de avisos

Este erro é emitido para lajes do tipo vigotas protendidas e lajes alveolares, quando as seções das lajes não atendem às cargas e vãos definidos no cadastro destas lajes. O que ocorre é que para estas lajes é calculada uma carga equivalente total (desconsiderando o peso próprio), através do momento fletor máximo obtido pelo modelo de grelha. Dada esta carga, o programa irá verificar na tabela cadastrada a primeira carga de valor igual ou superior à carga total. Se o vão cadastrado for superior ao vão da laje, a mesma será dimensionada corretamente, caso contrário, será apresentado este erro de dimensionamento. Esta situação foi justamente o que ocorreu para o presente caso, já que os vãos das lajes são maiores que o cadastrado para o carregamento existente na laje.

Para verificar isso, pode-se acessar a janela de dimensionamento de lajes e gerar o relatório de lajes alveolares.

Dimensionando_as_lajes_de_uma_estrutura_pre_moldada_c.gifRelatório de lajes alveolares

Com isso, pode-se comparar o carregamento da laje e o vão da mesma ao cadastro das lajes alveolares:

Dimensionando_as_lajes_de_uma_estrutura_pre_moldada_d.gifCadastro de lajes alveolares

De acordo com a tabela acima, a primeira sobrecarga superior à da laje (de 900 kgf/m2) é de 1000 kgf/m2, sendo que para esta carga pode-se admitir um vão de até 730 cm. Como o vão da laje é de 775 cm, que é superior ao máximo, é então, emitido o erro.

Para casos como este, uma opção para eliminar o erro nas lajes seria consultar o gráfico da sobrecarga x vão do fabricante da laje, verificando a possibilidade de acrescentar no cadastro o vão máximo que a laje pode ter para o valor exato calculado para a sobrecarga das lajes do projeto.

Dimensionando_as_lajes_de_uma_estrutura_pre_moldada_e.gifGráfico exemplo de sobrecarga x vão

Somente para exemplificar, caso fosse adicionado ao cadastro a sobrecarga de 900 kgf/m2, que foi calculada para as lajes deste projeto, e para esta um vão máximo de 790 cm, que seria o vão para esta sobrecarga conforme o gráfico acima, teríamos o seguinte:

Dimensionando_as_lajes_de_uma_estrutura_pre_moldada_f.gif

Cadastro de lajes alveolares alterado

Com isso, reprocessando a estrutura verifica-se que todas as lajes podem ser dimensionadas normalmente.

Dimensionando_as_lajes_de_uma_estrutura_pre_moldada_g.gifRelatório de lajes alveolares

Uma outra opção para eliminar o erro das lajes seria alterar o tipo de laje. No exemplo utilizou-se uma laje alveolar LP20 (20+5), no entanto poderia ter sido adotada uma laje um pouco mais espessa (LP30, por exemplo), já que estas permitem carregamentos maiores em relação aos vãos das lajes mais finas.

No presente momento, devido ao lançamento realizado inicialmente e ao tipo de erro que ocorreu nas lajes, pode-se manter, em princípio, as lajes com a espessura atual. No entanto, devido aos futuros problemas que serão solucionados (erros de instabilidade e erros no dimensionamento de vigas, por exemplo) é possível que o lançamento das lajes ainda seja alterado. O importante é o projetista ter em mente que os elementos estruturais não são analisados individualmente, devido ao modelo de pórtico, sendo normal, portanto, a alteração de dados do lançamento de qualquer elemento no decorrer da execução do projeto.

Como o dimensionamento das lajes alveolares realiza apenas a comparação do vão da laje com os limites cadastrados para as diversas sobrecargas totais, estas lajes não terão opção para detalhamento, pois o programa não calculará nenhuma armadura, seja positiva ou negativa de continuidade. Assim, na janela de dimensionamento, tabela "Positivo", as colunas “Armadura X” e “Armadura Y” aparecem em branco, assim como a coluna “Flecha Max”. Também não serão incluídas no relatório Resultados ou no diagrama Flechas. O único detalhamento possível será a apresentação das armaduras contra fissuração, quando habilitadas.

O objetivo deste artigo foi o de realizar uma verificação do dimensionamento das lajes alveolares, exibindo possíveis erros que podem ocorrer no processamento do projeto e informando alternativas de soluções para que tais erros sejam eliminados.

Tendo definido as lajes do projeto passam a ser conhecidas as suas contribuições no pórtico (reações das lajes no modelo), podendo-se partir, portanto, para a resolução dos problemas de instabilidade global da estrutura e dimensionamento das vigas. Nos próximos artigos serão abordados tais problemas e serão indicadas possíveis soluções para que estes sejam resolvidos.

tag(s): Dimensionamento; lajes alveolares; pré-moldado